Entrevista - Roger Moraes

O RA RACING Interview conversa com o campeão da categoria SP de 2016, o piloto de Florianópolis, Roger Moraes. Em 2016 sagrou-se campeão com apenas uma vitória na temporada, uma das temporadas mais equilibradas do RA RACING CHAMP.

RA RACING INTERVIEW: Você busca o título no RA RACING CHAMP a algum tempo, como é conseguir o título em um ano tão disputado?

Roger Moraes: Sim, este foi meu terceiro ano no CHAMP e graças a Deus cheguei na glória, nos últimos anos conquistei um P2 em 2013 e P3 em 2015. Em 2016 fiquei na mão em diversas provas por problemas mecânicos, mas soube superar e lutar até a última curva com muita garra. Levar o caneco foi simplesmente sensacional, lutei muito por ele, a emoção de dentro do capacete é muito individual, pena que nesse campeonato não pode ser usada a GO PRO no capacete para conseguir compartilhar essa explosão de felicidade, daquele momento único com a família e amigos!

RARI: Neste ano de 2016, qual foi o ponto alto para você da competição e qual momento que você gostaria de esquecer?

RM: Todos os momentos foram shows, o momento mais triste pra mim, foi a disputa com o Fernando Lima na etapa 6, piloto de altíssima qualidade na pista, o qual já fiz belíssimas disputas tanto no CHAMP, como em outros campeonatos, mas infelizmente tivemos aquele contra tempo que todos viram. Tiveram alguns pontos altos, como a disputa inesquecível e implacável com o Jorge Garcia na chuva, a bateria 1 da etapa 7 com o Giovani Novaes, aonde brigamos do início ao fim, mas sem dúvidas o ponto mais alto foram as minhas últimas 3 voltas da última corrida, meu kart travou o acelerador no fundo, eu só freiava e fizemos uma disputa animal com os três lideres do campeonato mais alguns pilotos, apesar das dificuldades consegui superar no braços três dos mais fortes pilotos na última volta e me consagrei campeão.

RARI: Em 2017, existe a possibilidade do aumento de lastro da categoria SP, o que muda para o campeonato o aumento do lastro e quais sua expectativas?

RM: Minhas expectativas são sempre as melhores, sempre entro pra ganhar, o objetivo maior é buscar o Bi-campeonato na categoria! Espero que realize esse aumento de lastro e a criação de uma nova categoria com 95 kg, assim poderei andar nas duas e disputar de igual pra igual com o Guidi, e quem sabe também ganhar dele. Sim, isso foi um desafio lançado! (risos)

RARI: Qual a importância de um campeonato como o RA RACING CHAMP para o cenário nacional do kartismo brasileiro?

RM: Participo desde 2010 de campeonatos de indoor, teve um crescimento absurdo no Brasil. Antes ia apenas para o KGV correr nos campeonatos da AMIKA, mas com a chegada da RA RACING em Santa Catarina, o qual está fazendo um belíssimo trabalho que já está sendo reconhecido nacionalmente. A maior importância que vejo é o surgimento de grandes pilotos de Santa Catarina, aonde iremos nos solidificar ainda mais nas disputas dos campeonatos nacionais.

RARI: Qual sua principal virtude nas pistas e sua maior dificuldade?

RM: Sou muito frio, tento esperar o melhor momento para atacar, mas as vezes espero demais. Tenho uma frase a qual me espelho muito, que diz assim: “Não sei dirigir de outra maneira que não seja arriscada. Quando tiver de ultrapassar vou ultrapassar mesmo. Cada piloto tem o seu limite. O meu é um pouco acima do dos outros.” - Ayrton Senna

Galeria

Vídeos

Destaque